4 de fev de 2008

Brasil exporta mais frutas para a Europa


O Brasil ampliou em 15% a exportação de frutas cítricas para a Europa, apenas através da holandesa Seabrex, um dos maiores centros de distribuição do produto no continente. Em 2006, as exportações de frutas brasileiras via Seabrex chegaram a 90 mil toneladas.

A empresa detém 50% do mercado europeu, precisamente a metade norte do continente. Está localizada numa área de 27 hectares do porto de Rotterdam, construída nos anos 30. Talvez seja isto – a antiguidade, combinada com o solo arenoso e úmido - que está provocando o afundamento dos armazéns. Nos últimos dez anos, o piso cedeu cerca de 30 centímetros.

A Seabrex recebe frutas de todas as partes do mundo, em especial, do Egito, Chile, Argentina, Índia, Chipre e África do Sul. Devido às características climáticas de cada país, a empresa teve de desenvolver uma tecnologia que permite manter 50 temperaturas diferentes em seus armazéns.

Para agilizar os trabalhos de embarque e desembarque de frutas, possui um entreposto aduaneiro e um escritório de inspeção fitossanitária junto ao prédio administrativo. Trabalha em regime full time para dar conta das 100 milhões de caixas de frutas que movimenta por ano, podendo operar com três navios ao mesmo tempo. O faturamento anual é de 40 milhões de euros.

(Na foto, uma longuíssima embarcação no rio Reno, em Rotterdam)