4 de fev de 2008

Vasos sanitários “espertinhos”

Mesmo vivendo literalmente em meio à água, os holandeses não a desperdiçam. Exemplo mais evidente são as válvulas de descarga de vasos sanitários. Há dois botões de acionamento. Um, maior; outro, menor. Dispensável explicar para que servem um e outro. Qualquer que seja a opção, a água é despejada na medida certa da necessidade.

Não é a única diferença dos vasos sanitários brasileiros. Nos banheiros masculinos, é possível notar, de imediato, um pontinho preto no fundo, à esquerda. Uma melhor observação permite perceber tratar-se de uma mosca.

A primeira impressão é de que o inseto é real, sendo tentador mirar nele o jato de urina para, só então, ver que a mosca é pintada.

Isto mesmo! Os vasos sanitários holandeses vêm com uma mosca pintada no fundo! A razão é óbvia: induzindo o sujeito a urinar naquele ponto, as possibilidades de respingar fora do vaso tornam-se menores, preservando a higiene e economizando água no momento da limpeza.